Sobre

1011578_615008755197781_357186874_n

Tania Alice (1976, França/Brasil) é performer e professora titular de performance na Escola de Teatro da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO. Foi diretora artística do coletivo de Performance “Heróis do Cotidiano” (Rio de Janeiro, Brasil) de 2009 – 2014, Coletivo que se reverteu na criação do Coletivo Performers sem Fronteiras, que atua em situações de trauma e conflito com projetos artísticos participativos. Ela trabalha na interface entre Artes Visuais e Artes Cênicas, investigando o conceito de Estética Relacional de uma forma crítica, trabalhando nas ruas e em espaços domésticos com artistas e “não artistas”.

Criando performances coletivas e participativas, seu trabalho visa a aumentar as potências de afeto e de alegria entre os seres humanos e entre os seres humanos e os animais e a natureza, criando, ao mesmo tempo, ações poéticas disruptivas dentro dos espaços urbanos. Formada em Somatic Experiencing (cura do trauma) e em Yoga do Riso, desenvolve  projetos artísticos que se apresentam como interseções entre projeto terapêutico e social, desenvolvendo o que ela chama de “Poéticas do Cuidado“.

Durante os últimos anos, ela realizou uma pesquisa sobre o ensino da performance, elaborando métodos pedagógicos inovadores para interessados em performance, estudantes de arte (Graduação, Mestrado e Doutorado), curadores, críticos e sobre projetos artísticos participativos. Ela trabalha também no acompanhamento de projetos de arte/vida individuais e coletivos.

Tania Alice possui um Mestrado e um Doutorado em Artes pela Université de Provence Aix-Marseille I, França (2003) e um pós-doutorado pela UFRJ e pela Université d’Aix-Marseille. Ela apresentou seu trabalho de performance em espaços reconhecidos nacionalmente e internacionalmente, como no Museu de Arte Contemporânea MAC/Niterói, Teatro da USP, SESC Copacabana, Oi Futuro Rio de Janeiro, Mostra Internacional de Artes do SESC São Paulo, Centro Cultural Vergueiro de São Paulo, no Museu de la Ciudad de México, CalArts, Side Street Project, The Art Walk (Los Angeles), International Miami Performance Festival e Art Fair Miami (USA), New York University, Glasshouse ArtLifeLab e Grace Exhibition Space (New York), Festival International Festival de Arte Acción y Intervenciones (República Dominicana), Gruntaler9 em Berlin, La Friche Belle de Mai/Asile 404 in France, Université Libre de Bruxelles, Teatro Nacional de Bruxelas, RITCS  and Wolcke (Bruxelas), Thêâtre des Bernardines, MUCEM e Théâtre de la Cité (França), na Colombia, Chile no Laboratório de Arte Socialmente Engajada, entre outros.

Ela recebeu prêmios importantes pelo seu trabalho artístico, como o Prêmio de Montagem da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (2007), o Prêmio Jovens Artistas do MEC (2009), o Premio Funarte Artes Cênicas nas Ruas (2010), o Prêmio de Circulação do Estado do Rio de Janeiro (2011) , o Prêmio do Júri Popular do Festival de Cinema de Washington para vídeo-performance ou ainda o Prêmio Mundo Solidário da Prefeitura de Limeira (2022).

Atualmente, ela trabalha como professora na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), onde é professora titular e dá aulas de performance na Graduação e na Pós-Graduação, orienta projetos de Mestrado e Doutorado e e é diretora do grupo de pesquisa “Práticas performativas contemporâneas” (CNPq/UFRJ/UNIRIO), que abriga os Performers sem Fronteiras e o projeto de pesquisa “Poéticas do Cuidado: arte em tempos de crise”.

Ela recebeu a importante bolsa de pesquisa da CAPES/Fullbright em 2013 e foi artista/professora visitante na CalArts (California Institute of the Arts). Em 2015, ocupou a cátedra de cooperação internacional da Université Libre de Bruxelles em 2015. Foi convidada pelo Teatro Nacional de Bruxelas / Royal Court / ULB para realizar um trabalho de criação performática e foi convidada da Université Livre de Franche-Comté em 2018 e para ministrar uma palestra sobre sua pesquisa na Sorbonne em 2020. Autora de oito livros; de diversos artigos e capítulos de livro sobre performance; e de artigos científicos em revistas de pesquisa nacionais e internacionais, também é autora do livro Performance como revolução dos afetos, lançado em dezembro de 2016 pela Editora Annablume e Manual para performers e não-performers – 21 ações artísticas para produzir felicidade,  lançado em 2020 e Pourquoi la performance? Pratiques sociales, artistiques et thérapeutiques (La Lettre Volée, 2021) e do primeiro livro de arte relacional no Brasil, co-organizado com Fabiana Monsalú e intitulado Arte Relacional no Brasil – o que se faz, o que se come,  a venda no site da Editora Multifoco.

Ela é diretora artística do Coletivo Performers sem Fronteiras, que reúne artistas de performance que realizam intervenções artísticas participativas fronteiriças entre projeto artístico, projeto terapêutico, projeto artístico e projeto pedagógico. Os Performers sem Fronteiras atuam em situações diversas de conflitos armados, catástrofes naturais ou qualquer situação geradora de trauma, propondo intervenções artísticas que atuam de forma construtiva na gestão individual ou coletiva de traumas e na construção de processos de paz. No ano de 2017, ela realizou seu estágio de pós-doutorado na Université d’Aix-Marseille I, França, para realizar uma pesquisa artística de projetos de arte socialmente engajados, especificamente quando estes se desenrolam em zonas de trauma, e consolidar o Coletivo, que virou uma associação oficial na França.

Ela também é instrutora oficial de Yoga do Riso, uma prática que pode ser oferecida para preparação corporal de grupos, empresas, asilos, entre outros.

Para o ano de 2019, ela idealizou o projeto de uma Clínica Somático-Performativa, um trabalho experimental na UNIRIO para os estudantes, que tem por meta gerar práticas de saúde e de prevenção da depressão, ansiedade e suicídio – a meta sendo expandir a clínica para outras instituições municipais, estaduais e federais e empresas. Em agosto de 2019, começou a formar multiplicadores da Clínica, para que a clínica do cuidado possa ser implantanda em empresas, escolas e outras instituições, trabalhando em parceria com o psicólogo Bruno Cuiabano. Atualmente, a Clínica segue seu curso, acolhendo aluna/os de diversos cursos e trabalhando com arte e saúde como eixos da pesquisa, também publicada em diversos artigos internacionais. Durante a pandemia, a Clínica realizou tempos de escuta poética e o projeto PETFORMANCES – Poéticas do cuidado para/com/por animais (em parceria com a veterinária Manuella Mellão), que permitia aos participantes de realizar performances em suas casas com seus pets: esse projeto foi proposto na UNIRIO, no programa SESC em CASA e na Mostra Internacional de Teatro MIT de São Paulo.

Seu trabalho atual,  Ensine-me a fazer arte, que inclui espetáculo, performance, debate sobre a função da arte, fez uma temporada no SESC Rio de Janeiro em 2022, antes de seguir para o Festival de Curitiba, fazendo a abertura do Festival Sesc Palco Giratório em Porto Alegre, e e está disponível para ser realizado em escolas, empresas e instituições artísticas para discutir a função do artista no contexto atual.

Durante a pandemia, Tania dirigiu o espetáculo do Coletivo Performers sem Fronteiras intitulado  Crescer pra Passarinho – Cuidados poéticos online para profissionais de saúde e destinado a profissionais de saúde, apresentado mais de 90 vezes para cuidar das pessoas durante a pandemia com arte e ganhou o Prêmio “Mundo Solidário” da Prefeitura de Limeira.

Em 2022, também foi convidada para ser artista-pesquisadora na Sorbonne, França, onde estará compartilhando sua pesquisa em março de 2023.

PROJETOS ARTÍSTICOS (201o-2020)

ENSINE-ME A FAZER ARTE – temporada no SESC Copacabana, abertura do Festival Palco Giratório de Porto Alegre, Festival de Curitiba (2022). CURATIVOS POÉTICOS VIRTUAIS E OUTRAS RELACOES CELULARES (direção) – estreia na 16. Mostra de Artes Cênicas de Jacaréi, com o Coletivo Entre8. PETFORMANCES – poéticas do cuidado para/com/por animais. Oficina criativa realizada na Mostra Internacional de Teatro de Sao Paulo e no Programa SESC EM CASA(2021). CADA NUMERO E O AMOR DE ALGUEM - performance online realizada na abertura do Congresso da ABRACE, 2021. CRESCER PRA PASSARINHO – cuidados poéticos online. Espetáculo para profissionais de saúde, com os Performers sem Fronteiras, apresentado 90 vezes durante a pandemia, 2020. Prêmio Mundo Solidário. HOME – espetáculo online com a Cia Mondes Sauvages, 2020. MA PLUS BELLE HISTOIRE D’AMOUR – espetáculo participativo com os alunos da Graduação em Artes Cênicas da Université de Besançon, França, 2020. BARDO, Teatro Sérgio Porto, Rio de Janeiro, 2020. CIDADE COLORIDA – performance participativa realizada em conjunto com os alunos da Université de Besançon, durante um workshop de criação de 15 dias, França, 2020. DANSE AVEC MOI - performance delegada, Festival Les Passeurs d’Humanité, França, 2019. TORRES DE DANCA - projeto da União Europeia em 7 cidades, performance participativa, Bel Horizon, Marseille, 2019 (artista convidada). DANS MA MAISON - projeto europeu em parceria com Les Têtes de l’Art, Les Dimanches de la Canebiere, Marseille, 2018 (artista convidada). ENSINE ME A FAZER ARTE - abertura da Biennale des Ecritures du Réel, Marseille, 2018 e Festivale de São José dos Campos, São Paulo, 2018. LE BAISER – performance duracional, MUCEM, Marseille, 2018. BAL DELURE – Théâtre des Bernardines, Marseille, 2018. THE BATH PROJECT, Marseille, Les Têtes de l’Art / Cinéma Le Gyptis, 2017. “Ensine-me a fazer arte”, India, 2017. ”The Animal Project” / Girafas, “The Animal Project / Orango-tangos”, Université Libre de Bruxelles / Pairi Daiza, 2017. “Ensine-me a fazer arte”, Espaço Mira, Porto, curadoria de Hugo Cruz e José Maia / “Performers sem Fronteiras”, Universidade de Lisboa e Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa / HOKAHEY, performance no RITCS (Royal Conservatory of Brussels) / palestra na Universidade Livre de Bruxelas .”Jogo da Memória”, Casa França/Brasil, 2016. “I am an animal”, palestra/performance realizada curso ministrado no Centro de Artes Hélio Oiticica, 2016.“Como acabar com a cultura do estupro?”, USP e TUSP, Sao Paulo, 2016. “Ilhas na Maré”,  Oi Futuro, Redes da Maré, 2016. “The Bed Project #02″, Plexus Noir, Marseille, 2016. Projeto de performance da Fundação Bernheim, Teatro Nacional de Bruxelas / Royal Court / ULB, Bruxelas, 2016. Feverestival, LUME, Campinas, 2016. “Primeiro Laboratório de Arte Socialmente Engajada”, Quilicura, Chile, 2016. Dança livre para todos, Festival de Teatro de Fortaleza, 2015. “Correio de abraços Brasil / Nepal”, Rio de Janeiro, Festival de Performance ATOSEMACAO, Limeiro, Campinas e Rio Claro e Nepal, 2015 / Nepal. “O Banquete”, SESC Petrópolis, 2015. “Todo sonho bem sonhado pode um dia virar realidade”, X Seminário de Pesquisa do Instituto de Medicina Social, Rio de Janeiro.“Danse libre pour tous”, Tarasloft, Brussels (2015). “Ulysses – live art after breakup” -  Zsenne ArtLab, Brussels (2015). ”The Bed Project- Berlin”, Gruntaler9 Performance Art Space, Berlin.”Sominiculos – The Bed Project”, Marseille, França  - Asile404 et REDPLEXUS – La Friche, Belle de Mai (2015). The Bed Project 12 hours – Glasshouse LifeArtLab (09/2014). “UlYsSeS – live art after breakup” – Grace Exhibition Space, Brooklyn, NYC (09/2014). Mostra de repertório Heróis do Cotidiano SESC Campinas, 2014. “O Banquete” – Festival de Inverno do SESC - Petrópolis e Nova Friburgo (-7/2014). “Dança Livre para todos” – Festival Internacional 100 em 1, Rio de Janeiro (04/2014). Seminário Internacional de Filosofia POP – palestra/performance “Corporeidades Liminares” (05/2014).“OrA©CioNEs” (performance) – IV Festival Internacional de Arte Acción y Intervenciones, Puerto Plata/Santo Domingo, República Dominicana (02/2014). “The Secret Life of plants” – Residência artística de projetos de arte socialmente engajada de um mês com exposição itinerante  Tecnobarca, Amapá (Amazonas), Brasil (janeiro 2014).“Bed Time Talking” (performance multimidia) - CalArts, Side Street Project (Pasadena), Gallery San Ysidro (San Diego/Tijuana), Art Walk, Los Angeles, USA (2013). “Corpo Cênico International” - vídeo-performance, Rio de Janeiro, 2013.“Postales”, exposição no Museu de la Ciudad de México, com Alvaro Villalobos (from 11/2013 to 03/2014). “Bed Time Talking”, performance em parceria com Alvaro Villalobos), Museu de Arte Contemporânea (MAC), Niterói, Brazil. “Bogotá em Branco” (parceria com Alvaro Villalobos, Bogotá, Colombia, 2013). “Bandeiras” [Flags]: Performance em parceria with Alvaro Villalobos. Miami International Performance Festival 2013, USA. Performance “Todo mundo pode ser Brecht!”. Palco Giratório Festival in Porto Alegre, 2013. Performance realizada durante a semana com vídeo apresentado no encerramento do Symposium of the International Brecht Society. Workshop: “Cuidados de si e da cidade” , em parceria com Marcos Bulhoes, Porto Alegre. Performance e palestra: “Estética relacional como revolução dos afetos”, Universidade Autônoma do Estado do México, Toluca, Mexico. 8th Meeting of the Hemispheric Institute of Politics and Performance “Corpo, cidade, ação” , São Paulo, 2011. Palestra sobre o coletivo Heróis do Cotidiano e performance “Soltando preocupações”. Second International Conference “Arquitetura, Teatro e Cultura” . Palestra: “Por que você é pobre? – relato de uma investigação cênico-performática. 2012. Seminário Profanações. Palestra-performance “Dionísio me salvo”, OI FUTURO Flamengo. 2012. Washington DC International Film Festival, vídeo-performance “A meditação da vaca”. Seminário Cena Contemporânea/Universidade Federal do Rio Grande do Sul e SESC Palco Giratório. Palestra: “Criação em arte: pedagogias profanas”. 2012. “Por que você é pobre?” (direção). Temporada de 3 meses no Centro Oduvaldo Vianna Filho 2012. Seminário Cena Contemporânea /Federal University of Rio Grande do Sul and SESC Palco Giratório. Debatedora dos espetáculos. 2012. Seminário: “Artes e Subjetividades”. Palestra: “Performance and subjectivity”. Seminário International “Corpo cênico: linguagens e pedagogias”: Palestra e performance “Não-performance na América Latina) (com Leandro Romano e Larissa Siqueira) e curadoria de performances. 2011. 5th National Seminar: Architecture, theatre and culture: studies of space and urban memory. “Constructing an inventive urban memory: the performance collective Daily Heroes”. 2011. Palestra: “Eixo Cruzado: O Herói que queremos”, Centro Cultural Vergueiro, São Paulo,. 2011. “Práticas do Ensino da Performance – CCBB Rio de Janeiro”: palestra e workshop, 2011. 8th semana da integração da UNIRIO. Curadoria da Mostra de Performance 2011.  20th National Meeting of ANPAP (National Association of Research in Plastic Arts): “Subjectivities, utopias and fiction”. Modalities of relational aesthetics on the streets: the performance collective Daily Heroes. 2011. Promotional operation: for the continuation of working groups in performatic arts in Rio de Janeiro. Palestra “Performance e mercado”. 2011. 1. Encontro do Questão de Critica.“A crítica na performance”. 2011. Palestra no  projeto entitled “Anti-Corpo: oriente-se . “Performance e atavism poético”. 2011. 6th Scientific Meeting da ABRACE – Porto Alegre. “A meditação como possibilidade creative para o performer”. 2011. Performance O Banquete (Heróis do Cotidiano). MOSTRA DE ARTES DO SESC São Paulo:  Sesc Carmo, Sesc Pinheiros, Sesc Ipiranga, 2011.  1st International Festival of Living Arts, Rio ao Vivo, 2011 – performance “Estratagema as claras”, com Gui Terreri. Documentário: “Heróis do Cotidiano”, aprsentado na aperture do Festival Globale Rio, 2011, do Festival “Mostra do Filme Livre” 2011, no Teatro Glauce Rocha, na mostra Cinerock” 2011. “First International Conference on Architecture, Theatre and Culture”. Palestra “Ensaio.Hamlet – a atualização dos clássicos na contemporaneidade”. Leituras dramáticas “Le Frigo” de Copi e “Le Funambule” de Genet.  Aliança Francesa de Botafogo, 2010. 6th congress of ABRACE – Art and science: um abismo de rosas. “Arte contemporânea no ínicio do século XXI”, Marseille, França. Palestra e publicação de capítulo de livro sobre intervenção urbana, 2010. “Has anybody seen me anywhere?”, direção do espetáculo de Jarbas Albuquerque (em parceria com Vinicius Arneiro e Renato Livera), temporada no Teatro Planetário e no Teatro Gláucio Gil, Rio de Janeiro, 2010. (des)Necessitados – performance, 2010.Local event: PUC, Rio de Janeiro. Ser Urbano – cidade projétil. Seminário Boa Praça. Palestra sobre intervenção urbana, 2010.  Palestra sobre performance no evento Arte at the CCBB”“Livro a Bolonhesa” –  SESC Rio: palestra e mostra do filme Heróis do Cotidiano. 2010.

LIVROS

Arte relacional no Brasil – o que se faz, o que se come (co-org. com Fabiana Monsalu). Rio de Janeiro: Editora Multifoco, 2022.

Pourquoi la performance? Pratiques sociales pédagogiques et thérapeutiques. Bruxelles: La Lettre Volée, 2021.

Manual para performers e nã0-performers. Rio de Janeiro: Editora Multifoco, 2020.

Performance como revolução dos afetos. São Paulo: Editora Annablume, 2016.

Performance.Ensaio – (des)montando os clássicos. Rio de Janeiro: Confraria do Vento, 2010.

Seleçao de capítulos de livros e artigos

ALICE, Tania. Petformances – arte relacional como poéticas do cuidado para/com/por animais. Revista Urdimento (UDESC), v. 2, p. 1-20, 2021.

ALICE, Tania. Tentativas de performar o encanto durante a pandemia. Revista Científica da FAP/Curitiba, v. 24, 2021.

ALICE, Tania. “Pour une écologie des affects” (entrevista de Tania Alice realizada por Karolina Svobodova. Revista Alternatives Théâtrales, numero especial “Scènes du Brésil”. Bruxelles, n. 143, p. 68-69, 2021.

ALICE, Tania. Dramaturgias da solidariedade. Revista Educação, Artes, Inclusão da UDESC. Santa Catarina,  vol. 16, n.4, out-dez 2020.

MOTTA, Gilson; ALICE, Tania. Poéticas do Cuidado em tempos de crise. Revista Dramaturgias – revista do laboratório de dramaturgia LADI-UNB, v. 18, p. 60 – 82, 2021.

MOTTA, Gilson; ALICE, Tania. Performance as Spiritual Practice. Journal of Performance and Mindfulness. 2 (1), Jan., 2019.

MOTTA, Gilson e ALICE, Tania. Andar, dançar, meditar: a performance como prática espiritual. Pós: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG. Belo Horizonte, p. 314-331, 27 maio 2018.

ALICE, Tania e REZENDE, Diogo. Performers sem Fronteiras. Uma plataforma de arte relacional. Revista Fractal de Psicologia, 2018.

ALICE, Tania e REZENDE, Diogo. Relational Art as Healing Practice – The participative artistic projets of the Performers Without Borders. Revista ECronicon: EC Psychology and Psychiatry, 2019.

ALICE, Tania e BAFFI, Diego. Traga seus problemas para a arte: performances de arte relacional como cura. São Paulo: revista TUSP, 2018.

VERGARA, Luiz e ALICE, Tania. Devir-floresta: conversações. Rio de Janeiro: Revista Poeisis, 2019.

“Performance e Somatic Experiencing – arte relacional como cura”, in: Rossi, Cornelia; Netto, Liana; Pinto, Liane; Fajardini, Zélia. Diálogos estendidos com a experiência somática. São Paulo: Scortecci, 2016.

“A meditação como possibilidade criativa para o ator/performer”, in: Joana Ribeiro, Nara Keisermann (org.). O corpo cênico: entre dança e teatro. São Paulo: Annablume, 2013.

“A ação disruptiva no espaço urbano: um treinamento ativista” (com Antônio Araújo), in: Alex Beigui; Bya Braga (org.). Treinamentos e modos de existência. Natal: Editora da EDUFRN/ ABRACE, 2013.

Brèches poétiques au sein du réel: performance et réappropriation des espaces publics, in COELLIER, Sylvie et AMBLARD, Jacques. L’art des années 2000, quelles émergences? Aix-en-Provence: Presse Universitaires de France, 2012.


Back to Top ↑